A próstata consiste em uma glândula reprodutiva masculina responsável pela produção do fluido que, junto com os espermatozóides, constitui o sêmen.

O aumento da próstata ocorre na maioria dos homens, conforme eles envelhecem. Em alguns, o crescimento é tanto que é capaz de bloquear a passagem da urina pela uretra. 

A esse aumento da próstata dá-se o nome de hiperplasia prostática benigna (HPB) ou hipertrofia prostática benigna. A HPB não é um câncer e não eleva o risco de câncer de próstata.

Quais são as causas da HPB?

Ainda não se sabe qual a causa exata para o aumento da próstata. Há fatores associados ao envelhecimento e aos testículos capazes de desempenhar um papel no crescimento da próstata.

Há ainda a hipótese de que o crescimento da próstata ocorra devido às mudanças no equilíbrio dos hormônios sexuais que ocorrem nos homens com o passar dos anos.

Quais são os fatores de risco?

Os fatores de risco mais comuns para o aumento da próstata são:

  • Envelhecimento;
  • Histórico familiar;
  • Origem (sendo mais comum em homens americanos e australianos, e menos comum em homens chineses, indianos e japoneses).

Sintomas da HPB

Com o passar do tempo, o aumento da glândula da próstata costuma se agravar. Os sintomas da HPB podem incluir:

  • Fluxo urinário fraco;
  • Dificuldade para urinar;
  • Retenção urinária;
  • Interrupção do fluxo da urina após seu início;
  • Necessidade frequente ou urgente de urinar;
  • Aumento da frequência de urinar à noite (noctúria);
  • Necessidade de fazer esforço para urinar;
  • Não conseguir esvaziar completamente a bexiga.

Em alguns homens os sintomas podem se estabilizar, e até mesmo melhorar com o tempo.

Diagnóstico

O exame físico (toque retal) geralmente é suficiente para realizar o diagnóstico, no entanto, o médico poderá solicitar a realização de outros exames, como:

  • Taxa de fluxo de urina;
  • Exame de resíduo urinário;
  • Exames de fluxo de pressão;
  • Exame de urina;
  • Cultura de urina;
  • Exame de PSA;
  • Cistoscopia.

Tratamento da HPB

A escolha do tratamento acontecerá de acordo com a gravidade dos sintomas, na dimensão do impacto na vida diária do paciente e na presença de qualquer outra eventual doença. As opções de tratamento podem ir de espera vigilante, a mudanças no estilo de vida e, dependendo da necessidade, até cirurgia.

Homens com mais de 60 anos apresentam uma maior probabilidade de apresentar os sintomas. A maioria dos homens com a próstata aumentada apresentam apenas sintomas brandos. 

Os pacientes que possuem a próstata aumentada precisam realizar um exame anual para monitorar a progressão dos sintomas e determinar se serão necessárias alterações no tratamento.

Medicamentos

Um tipo de medicamento utilizado são os bloqueadores alfa 1, que tratam a pressão arterial alta. Esses medicamentos conseguem relaxar os músculos da próstata e do colo da bexiga, facilitando a micção. 

A finasterida e a dutasterida reduzem os níveis de hormônios produzidos pela próstata e o tamanho da glândula prostática, elevam a taxa do fluxo de urina e diminuem os sintomas. O paciente pode levar de 3 a 6 meses para perceber uma melhora significativa em seus sintomas. 

Também podem ser prescritos antibióticos para tratar a prostatite crônica (inflamação da próstata), que eventualmente pode acompanhar a HPB.

Cirurgia

A cirurgia prostática é recomendada em casos de:

  • Incontinência urinária;
  • Sangue recorrente na urina;
  • Incapacidade de esvaziar a bexiga por completo;
  • Infecções recorrentes no trato urinário;
  • Insuficiência renal;
  • Cálculos vesicais.

A decisão por um procedimento cirúrgico específico geralmente é baseada na gravidade dos sintomas, no tamanho e na forma da glândula prostática. Não deixe de consultar o urologista para se informar sobre a melhor alternativa de tratamento.