O câncer de próstata é o tumor mais comum entre os homens com mais de 50 anos. Segundo estatísticas americanas, 1 em cada 6 homens irá desenvolver câncer de próstata ao longo da vida. Ainda assim, apenas 1 homem em cada 35 morrerá em função dessa doença. O câncer de próstata é responsável por 10% de todas as mortes causadas por câncer em pacientes do sexo masculino, ficando atrás apenas dos tumores de pulmão e de intestino.

A próstata é o órgão responsável pela produção dos nutrientes e fluidos que compõem o esperma. Ela está localizada logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A uretra passa por seu interior, detalhe anatômico que explica a dificuldade para urinar quando há hipertrofia prostática. Em grande parte dos casos, essa dificuldade ocorre por causa do crescimento benigno da próstata, que surge com o avançar da idade e é chamado de hiperplasia prostática benigna.

Até meados de 1995, o câncer de próstata configurava uma crescente de casos, estabilizando-se após este período. A redução de casos observados desta década até os dias atuais deve-se, em boa parte, aos métodos de diagnóstico precoce, como:

  • Toque retal;
  • Ultrassonografia da próstata;
  • Checagem do PSA (antígeno prostático específico).

Como a doença se desenvolve

O câncer de próstata se estabelece em qualquer região da glândula e, à medida que cresce, ocupa gradativamente os lobos direito e esquerdo do órgão. Quando a doença está mais avançada, invade por continuidade a cápsula que reveste a próstata, para então alcançar os tecidos ao seu redor, incluindo as vesículas seminais.

Quando os tumores são mais volumosos, o paciente pode apresentar:

  • Dificuldade para urinar;
  • Ardor e jato fraco;
  • Acordar diversas vezes durante a noite para urinar;
  • Gotejamento de urina após completar a micção;
  • Dor;
  • Presença de sangue na urina e no esperma.

Com o decorrer do tempo, as células malignas afetam os linfonodos da área, caem na corrente sanguínea e se alastram para outros órgãos.

Essas células se caracterizam por apresentar grande predileção pelo tecido ósseo, onde podem permanecer por muitos anos antes de passar para outros tecidos.

Tipos de câncer de próstata

Adenocarcinomas

Os adenocarcinomas são responsáveis por 95% dos tumores malignos de próstata. Podem ser classificados como de baixo grau, grau intermediário e alto grau. Os tumores de baixo grau são constituídos por células diferenciadas, que guardam alguma similaridade com as células prostáticas normais. Já os de alto grau são formados de células com alto índice de proliferação, bem diferentes do tecido normal da próstata.

Tipos mais raros de câncer de próstata

Os outros 5% dos cânceres de próstata incluem tipos muito mais raros: carcinomas de pequenas células, sarcomas e linfomas. Quando o câncer de próstata é citado, geralmente se refere ao adenocarcinoma, e não a esses tipos histológicos mais raros.

Prevenção

Há médicos que recomendam a realização do exame de toque retal e da dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para homens com histórico familiar de câncer de próstata antes dos 60 anos, os urologistas recomendam realizar esses exames a partir dos 40 anos. 

É importante ressaltar que apenas o médico será capaz de orientar quanto aos riscos e benefícios da realização desses exames.