O recente avanço no campo da Medicina Reprodutiva possibilitou que alguns homens com azoospermia não-obstrutiva possam ter filhos com espermatozoides próprios.

O principal método é a Micro-TESE (microsurgical testicular sperm extraction), uma microdissecção testicular com o objetivo de extrair os espermatozoides diretamente dos testículos. Consiste em uma cirurgia muito delicada e que requer um urologista e um embriologista capacitados e com experiência em Reprodução Humana para buscar os poucos espermatozoides com a ajuda de microscópio.

A Micro-TESE é realizada com um microscópio de maior potência, que localiza, dentro do testículo, quais são as áreas com maior probabilidade de encontrar espermatozoides. Essa escolha é realizada avalizando a dilatação de alguns túbulos encontrados dentro desse órgão, pois quanto maiores eles forem, maiores as chances de conterem gametas.

O material coletado é enviado para um laboratório, onde os espermatozoides são identificados e separados. Após a coleta dos gametas, eles também passam por uma avaliação, para verificar sua motilidade e morfologia. Caso os resultados sejam satisfatórios, eles poderão ser usados em uma ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides).

Indicação

Geralmente, as técnicas de biópsia testicular são indicadas para pacientes com azoospermia, ou seja, que não possuem espermatozoides em seu esperma. Essa é uma condição detectada através de um exame de espermograma.

Pré-operatório

É preciso realizar jejum de no mínimo 8 horas.

Como é realizado o procedimento

A Micro-TESE é feita em hospital, sob sedação (anestesia geral). O paciente interna horas antes e tem alta no mesmo dia.

Quando os espermatozoides são extraídos, ficam em cultivo na incubadora até serem utilizados para fertilizar os óvulos (FIV), geralmente no mesmo dia.

Pós-operatório

Depois do procedimento, o homem precisa permanecer algumas horas no hospital até passar a anestesia. Quando em casa, é preciso que o paciente cuide da região, aplicando bolsas de gelo nas primeiras 24 horas e tomando analgésicos, caso haja necessidade. É importante também que o paciente pratique um repouso pós-operatório. É comum que os testículos fiquem doloridos por 3 dias após o procedimento.

Riscos

A biópsia pode ser contraindicada em casos de pacientes com doenças testiculares graves. No entanto, no geral, não oferece riscos maiores do que outros procedimentos considerados invasivos.


Vantagens

  • É confiável, pois é a melhor técnica para os casos de azoospermia não-obstrutiva;
  • O material retirado é “limpo”, ou seja, livre de células de sangue.

Desvantagens

  • Custo mais alto;
  • É um procedimento cirúrgico aberto, ou seja, apresenta uma incisão no escroto.

O processo da Micro-TESE é trabalhoso e longo, mas tem como recompensa o encontro de espermatozoides suficientes para a ICSI em 50% a 60% dos pacientes.