Em média 4% a 6% dos homens que passaram por vasectomia voltam a manifestar o desejo de ter filhos. Nessas situações, a reversão da vasectomia é possível na maioria das vezes. Grande parte dos casais ainda desconhecem a reversão de vasectomia ou ainda acreditam que a vasectomia só pode ser revertida com menos de dois anos.

Antes de realizar a reversão, é necessário que o paciente realize uma avaliação urológica, bem como exames pré-operatórios específicos para calcular a taxa de sucesso.

Como é realizada a reversão de vasectomia?

Por se tratar de uma cirurgia minuciosa e delicada, a reversão precisa de tempo cirúrgico maior que a vasectomia, normalmente de 3 a 4 horas.

Para que haja a reversão, é necessário reconectar as duas partes dos canais deferentes anteriormente separadas (possível somente quando o corte não foi muito grande). Para que isso aconteça, é realizada uma microcirurgia, onde se realiza uma pequena incisão no saco escrotal (de 3 a 5cm). Após localizadas, as pontas dos canais deferentes são preparadas para o procedimento, que consiste na sutura (costura) das duas partes. Essa sutura é feita com fios finos e utilizando microscópio. Feito isso, o saco escrotal é costurado novamente.

O procedimento é realizado sob anestesia geral. Quando a cirurgia é realizada pela manhã, o paciente já poderá receber alta no mesmo dia à tarde. Um espermograma precisa ser realizado com 45 dias após a cirurgia para analisar a quantidade de espermatozoides no sêmen, além de sua motilidade e morfologia.

Essa cirurgia costuma é indicada nos casos de homens que fizeram vasectomia há menos de 14 anos, o que aumenta as chances de sucesso, pois com o tempo, um processo de fibrose pode acontecer, obstruindo o local abaixo de onde foi realizado o rompimento do canal deferente. Nesses casos é preciso realizar uma conexão fora da área obstruída.

Com a religação dos ductos deferentes, eles retornam a funcionar normalmente. No entanto, quanto maior for o intervalo entre a vasectomia e sua reversão, menores são as chances de sucesso. As estimativas são de 70% de chances de gravidez quando a reversão for realizada após 3 ou 4 anos, podendo cair para 30% a 40% após 10 anos. A idade do homem também é um fator importante, já que sua fertilidade também cai após os 45 anos. 

Pré-operatório

Antes da indicação da cirurgia, são pedidos exames pré-operatórios de rotina, como hemograma completo, por exemplo. Também é indicada a realização de um espermograma, para verificar se realmente não há espermatozoides no sêmen.

Pós-operatório

O paciente costuma ter alta no mesmo dia do procedimento ou no máximo no dia seguinte, porém, a recuperação em casa demora aproximadamente 10 dias, com repouso absoluto nos 3 primeiros dias. É importante evitar relações sexuais e ejaculações por 45 dias, para que melhor ocorra a cicatrização da sutura dos canais deferentes. O médico pode indicar alguns remédios, como anestésicos e antibióticos para evitar infecções.

Caso não haja sucesso na reversão de vasectomia, ou essa não for uma opção do casal, a fertilização in vitro através da injeção intracitoplasmática dos óvulos da companheira, com espermatozoides obtidos do testículo ou do epidídimo pode ser uma alternativa, já que apresenta taxa de gravidez de aproximadamente 40%.